Na minha adolescência, eu escrevia diário. Ás vezes usando cadernos de escola que não chegava ao fim; mais vezes comprando um especial. Especial porque eu sabia que ele ia ser o meu diário, a cara dele era igual aos outros da escola.