Capítulo 19 - Confusão


capitulo 19 – confusão

Toda a minha animação acabou assim que cheguei na boate, estava lotada em plena terça feira. Havia pessoas em todos os lados e mais ainda na pista de dança e no bar.

Eu não via Jacob em canto nenhum, mais vi alguns rostos conhecidos, todos da escola, por mais que esses rostos fossem conhecidos – nenhum deles era o rosto de Jacob-

-Olha a Linna ali! ­­– América disse por cima da música e apontou para longe, os cabelos de Linna balançavam ao som da música alta, com ela estava também um rapaz... Edward.  Apenas mais um aluno da escola – mais não precisar ir falar com ela agora – américa disse alto, enquanto me empurrava em direção ao único espaço que ainda estava vazio no bar – quer dizer, espera eu encontra um boy primeiro, porque ela já esta acompanhada e o Jacob daqui a pouco chega e eu não vou ficar de vela, além do mais, não quero vocês de segredinho novamente.

Quando já estava chegando no bar me bati em algo duro e alto, pensei que fosse Jacob, e se parecia muito mais era apena so Jennyson, irmão do Jacob.

- Não é um bom lugar para duas moças estarem sozinhas – Jenny parecia mais velho, bem diferente de quando o conheci – quem é a sua amiga bela?

- essa é a América – ela sorriu e mexeu no cabelo – Melri, este é o Jenny , irmão mais novo de Jacob.

-Olá – Jenny disse a ela, logo América desenrolou uma conversa com Jenny e os dois foram pra pista de dança.

Cinco minutos depois América e Jenny estavam dançando na pista e com cervejas na mão, se beijando a cada um segundo.

Eu estava sentada no bar havia quase uma hora e ainda não tinha nem terminado meu vergonhoso copo de suco.

-suco? Você não me chamou aqui para beber suco. Chamou? – a  voz de Jacob saiu suave apesar da musica alta.

-Na verdade eu queria te chamar aqui, eu não estar aqui e pronto – desabafei.

A quem eu queria enganar tanto Jacob como eu sabemos que este não é o tipo de lugar que eu frequentaria.

-Nossa! – Jacob exclamou com a mão no coração – se eu tivesse vergonha na cra, eu iria embora agora...

-Mas como você não tem vergonha na cara, esta aqui

 

-Hey! O que aconteceu com você hoje? Você me chamou aqui, e você esta brava por eu ter vindo? – Jacob parecia serio

- Eu não gosto de lugares assim.

- Eu sei, eu vim te tirar daqui – Jacob sorriu e apontou a cabeça na direção da porta – vamos? – estendeu a mão

Pensei um pouco, será que era uma boa opção sair sozinha com o Jacob da boate, com tantos alunos da escola aqui... Será só mais um motivo para Kacey ter raiva de mim. Mais do que adianta? Ela já esta com raiva mesmo.

- Eu só vou avisar a América

-Não vamos acabar com o clima entre eles

Concordei. Peguei na mão de Jacob e ele me guiou na direção da porta em meio a multidão.

                                                                                                                            ***

La fora o ar estava gelado , o vento batia forte nos meus cabelos, eu observava um grupo de amigos que aparentemente estava bêbados, Jacob pareceu não notar, estava perdido em pensamentos.

- Você pode esperara aqui’ – Jacob falou desviando a minha atenção –o meio carro esta estacionado meio afastado daqui.- assenti, passando a minha tenção para Jacob, ele saiu me deixando sozinha. Percebi que a boate ficava meio afastada da cidade, isso porque muitos frequentadores era menores de idade – como, por exemplo, os garotos da minha escola , que estavam na boate hoje, como por exemplo, Eu e Jacob, e Marica e Linna, irresponsáveis – e bebiam mais do que aguentava . Essa boate era famosa por isso.

Voltei minha tenção para os rapazes que para minha surpresa também estavam prestando atenção em mim, eram quatro ao todo, talvez a coisa certa agora fosse voltar pra boate, onde tem gente. Mais resolvi ficar parada talvez eu seja muito medrosa e esteja imaginando coisas. Mais não estavam, pois agora eles estavam vindo em minha direção, desviei meu olhar para onde Jacob avisa sumido, mais ele aparentemente não estava por perto, me perguntei então, aonde ele estacionou o carro dele.

-Olha ela ali – um deles disse – olha pra gente gatinha – eles estavam chegando mais perto, eles não eram “rapazes” eram homens, aparentavam ter na base de uns trinta anos. Comecei a andar na direção de que Jacob havia ido. – Ei1 não foge da gente não.

Eles começaram a correr e eu também, a rua estava escura e com tantos carros estacionados, mal conseguia avistar Jacob em canto nenhum, eu já estava ofegante e não fazia nem cinco minutos que estava correndo, na verdade não fazia nem três! – Jacob!! – gritei desesperada – Jake!!- mais eu não escutava nada, além da risada deles e do meu coração batendo a mil dentro do peito. Ate que um braço agarrou a minha blusa por trás ,e eu quase cair no chão mais antes que isso acontecesse ele passou a mão pela minha cintura me segurando forte – me solta!  - me debati – socorro! Jacob!

-você precisa fazer mais exercícios amor – ele zombou enquanto os outros me cercavam – eu nem suei

- Me solta – onde Jacob estava? Porque estava demorando tanto?

- o seu namorado não vai aparecer, você é só nossa –um dos homens tinha o cabelo loiro, ele passou a mão no meu rosto e colocou meu cabelo atrás da orelha. Outro tinha o cabelo preto e usavam um Pierce no nariz, e havia um mais baixinho bem branquelo. O de Pierce segundo o meu braço esquerdo, enquanto o mais baixo segurou o direito, e o cara – que eu não conseguir identificar – continuava segurando a minha cintura fortemente.

Eu tentei chutar mais acabava chutando o ar, não conseguia mover as mãos, tentava me contorcer mais era inútil. Tudo era inútil.

Em um movimento rápido o cara loiro rasgou a minha blusa com uma faca que tirou de algum lugar, a minha barriga e o meu sutiã ficaram a mostra. Os outros riam.

- anda logo com isso – o homem que segurava a minha cintura disse impaciente- eu quero logo ter a minha vez – reclamou.

-Jake!! – o meu desespero só aumentava a cada segundo que se passava na presença desses idiotas.- Jacob, socorro !!

- cala a boca!! – o loiro gritou com a faca na mão apontada para mim.

- Cala a boca você! – Jacob gritou de volta, a voz dele estava cheia de raiva e ódio, eu senti o musculo do cara de Pierce tremer, eu porem, apenas suspirei aliviada.

Os olhos de Jacob pararam em  mim, seus olhos passearam pelo meu corpo, sua expressão ficou mais furiosa ainda, eu corei, se fosse em outras circunstancias Jacob teria feito alguma gracinha, mais não era a situação agradável.

A sombra de James apareceu logo atrás de Jacob, soltei mais um suspiro de alivio.

-Então você é o namorado dela? – o loiro perguntou rindo, Jacob parecia furioso e James também não estava com uma cara lá muito boa. – como você ousa deixar a sua namorada sozinha a essa hora da noite?

- Como você ousa tocar a mão nela- Jacob falou e no segundo seguinte com um só golpe ele jogou o rapaz em direção ao vidro do carro que estava próximo, com o impacto o vidro se espedaçou em milhões de pedaços, ele caiu inconsciente no chão.

Rapidamente eu cai no chão, James havia derrubado o cara que segurava minha cintura, o cara do Pierce e o mais baixo saíram correndo, e eu não havia percebido estava muito ocupada observando Jacob esmurrar o cara que antes tinha o cabelo loiro que agora estava cheio de sangue, ele já estava inconsciente e ainda levava vários socos de Jacob.

-Jacob para! – James gritou e o tirou de cima do homem – ele já aprendeu a lição

Jacob levantou, olhou para as próprias mãos cheia de sangue, ele limpou as mãos na calça, chegando perto de mim ele tirou a camisa e a colocou meio sem jeito em mim – Desculpa, eu deveria ter chegado antes – ele me apertou contra seu peito e eu ouvir o som das batidas fortes de seu coração – eu deveria ter arrancado as mãos de cada um deles, pra eles nunca mais tocarem em você e  em mulher nenhuma.

- Depois a gente pega eles –James disse a Jacob –eu vou voltar pra boate, eu preciso me distrair um pouco. Você cuida da Bella?

-Sim, obrigada irmão – Jacob agradeceu.

-Não foi nada – ele tocou no meu cabelo – Se cuida Bella.

                                                                                                                ***

Jacob estava rígido ao volante, eu já estava mais calma foi um susto e tanto mais esta na presença de Jacob já me deixou mil vezes melhor.

Jacob dobrou a esquina da minha casa, a rua estava silenciosa e as folhas das arvores se balançavam com o vento em uma dança silenciosa . Os olhos de Jacob se voltaram para mim, esses olhos eram me familiar de algum lugar, mais eu não conseguia buscar nenhuma lembranças aonde aqueles olhos me encaravam daquela maneira – como estão me encarando agora – Jacob estava diferente desde do final de semana na fazenda de seu pai.

Agora, olhando para Jacob, eu me dei conta de que sempre que estava perto dele eu me sentia bem, protegida... Mas ao mesmo tempo, ele me fazia tão mal, depois que conheci o Jacob as coisas mudaram de uma forma impressionante. Parece que para estar com ele eu precisava abrir mão de algumas coisas, algumas pessoas. Mas apesar disso eu gostaria de sentir essa sensação todos os dias.

-Voce vai ficar bem? – ele perguntou, colocando as mão nos meus ombros, ele não parecia o “garanhão” agora, ele só... Parecia o Jacob, o cara com que eu conheci no final de semana, no passeio a cavalo, o cara que me salvou hoje a noite.

 

-sim – respondi saindo do carro, Jacob segurou minha mão e olhava nos meus olhos, aqueles olhos eram tão familiar...

-Bella eu...- ele tentava buscar as palavras certas – eu... mudei bastante depois que você voltou – ele suspirou, como se tivesse tirado um peso das costa, como se quisesse dizer aquilo a muito tempo.

 

Eu assenti, percebendo que as luzes da varanda se acenderam , Charlie estava acordado – Obrigada por hoje – eu o abracei – não sei o que poderia ter acontecido se-

-eu não ia deixar acontecer nada com você – ele me cortou. Depois de um segundo me encarando ele sorriu – estou te devendo um passeio, afinal eu não te levei aonde ia levar.

Sorri – verdade, Boa Noite – fui para a porta de casa sabendo que assim que entrasse pela aquela porta eu deixaria para trás a oportunidade de abraçar Jacob e me sentir protegida mais uma vez, parece que a cda passo que eu dava para longe de Jacob menos protegida eu me sentia. Algo mudou em relação ao Jacob dentro de mim, algo desconhecido que nem eu mesma sei dizer o que é, só sei que tenho medo desse estranho sentimento que esta brotando no meu coração.

-Bella – Jacob chamou, quando me virei ele já estava subindo os degraus da escada da varanda. -Eu...- ele chegou perto de mim, eu deveria ter recuado mais a sensação de proteção me atingiu primeiro. Ate que ele me beijou, no inicio foi um beijo lento e suave, mas logo ficou urgente eu deixei que sua língua invadisse a minha boca, ele colocou as mãos na minha cintura e as minhas mãos voaram para o seu cabelo, puxando para mim.

-Com licença – a voz do meu pai me fez paralisar de vergonha, eu e Jacob nos soltamos um do outro, ate Jacob parecia sem graça.

- Eu acho que já esta meio tarde pra vocês estarem aqui fora -  Jacob e eu sorrimos sem graça – tenha uma boate noite Jacob – Charlie o dispensou.

- o Senhor esta certo, Boa noite – ele olhou de Charlie para mim  e meu um selinho que me pegou desprevenida.

-Boa noite – foi a única coisa que conseguir responder.

                                                                                         ***

Dayana Januário. Uma Adolescente de 17 anos, cacheada, catolica e Apaixonada Por Tudo Que Envolva Romance, Livros, Filmes, Músicas, Fotografias, e Blogs

COMENTE COM SUA CONTA GOOGLE+
COMENTE COM SUA CONTA BLOGGER

Deixe um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...